sexta com cara de segunda

E o que eu faço nesta sexta-feira, meu deus. Que chega mansa, trazida de perto, embrulhada em confeito, o papel semiaberto. O que eu faço desta sexta-feira, meu deus? Que me dá gastura, que empola as vísceras e corrói o esôfago. A ajuda chega, me murmuram os anciões, donos de todas as sextas-feira, e eu sigo pouco crente, um tanto cética. A sexta-feira me chega cheirando a defunto.

Anúncios
sexta com cara de segunda

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s