Das coisas inéditas

peixe

A vida não é aquela que aconteceu uma vez e depois de novo. A vida é inédita, de todos os pontos de vistas. Inédita pra medicina, inédita pra história, inédita para a matemática. Se perde o ineditismo, não é vida, não é nada. Um dia, estava parado na beira de uma ponte e veio um menino, medindo pouco  mais que a minha cintura, perguntar se eu ia me jogar. Achei engraçado, por ser o menino tão pequeno e a pergunta tão grande. Não ia não, respondi, e voltei a olhar o fluxo das águas. E se fosse, o que você faria? Eu ia ficar pra ver, ele respondeu, como se não fosse grande a pergunta, o suicídio e o rio. Ri da minha pretensão, achando que iria ser salvo pelo menino. Mas não, ele iria ver. Me contentei em ser a quase-novidade do momento, a depender do moleque, um peixe poderia engolir o meu ineditismo.

Anúncios
Das coisas inéditas

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s