Meu Pequeno Tropicalista

Faz tempo, aproveitando a paixão do meu sobrinho por animais, mostrei a ele Gal Costa cantando vaca profana, e, de uma vez só, ele caiu na linha dos baianos. Graça das graças, cantava a letra inteira, começando concentrado com “respeito muito minhas lágrimas, mas ainda mais minhas risadas” e entoava sofrido o “veeeeem, dona das divinas teeetas”.
Com cinco anos agora, meu sobrinho desenvolveu uma fixação sobrenatural pela Maria Gadu. A gente explica que tal música é do Caetano, que a versão mais famosa daquela foi com uma cantora chamada Edith Piaf. Ele, que já sabe escrever e ler de tudo, foi procurar no youtube o clipe de ne me quitte pas, digitando assim “nemecitpa” e eu, babona, achei uma graça linda.
Acho que ele deixaria uns 20 ou 30 animais de sua coleção de bichos de plástico por um DVD da Maria Gadu e do Caetano.
Hoje, Natal, ele veio me perguntar como é que era mesmo aquela música, e cantarolou: “beleza puuura”, então, enquanto ele olhava com aqueles olhos grandões que ele tem quando admira que eu saiba a letra das músicas, entoei: não me amarra dinheiro não, mas formosura, dinheiro não, a pele escura, dinheiro não, a carne dura.

Anúncios
Meu Pequeno Tropicalista

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s