Caraminholas

Neste momento, pouco mais de meio milhão de caraminholas passeiam pelo espaço entre o meu cérebro e eu. São verdes, azuis, roxas e pálidas, se locomovem como larvas, ou cobras, ou minhocas: apoiando seus voláteis corpinhos numa prega de neurônio e encaraminholando, indo de um lado a outro, percorrendo distâncias enormes em segundos. Algumas aproveitam … Continue lendo Caraminholas

Vivendo na Índia, com Jennifer Lawrence

O que eu faço no segundo dia depois de ter prometido pra mim mesma escrever um texto por dia no blog? Mmmm... uma lista com 6 curiosidades da minha vida em Mumbai e Jennifer Lawrence. 1. Nem tê, nem TT, nem Tereza. "Maria" é minha identidade secreta aqui.  2. Assim que começam a tocar música indiana … Continue lendo Vivendo na Índia, com Jennifer Lawrence

Some songs, same songs

These are some of my timeless songs, those ones that I loved once and love until this day (no particular ranking in the order). Cat Power - Metal Heart   Titãs – Cegos no Castelo   Belle and Sebastian – Piazza New York Catcher   Los Hermanos – Conversa de Botas Batidas   Arcade Fire … Continue lendo Some songs, same songs

Ah, atualiza o blog!

Eu escrevo quando eu tenho algo muito mais importante para fazer, daí eu paro e escrevo. O que eu tenho pra fazer agora que eu estou escrevendo? Uma motivation letter.  Aquele negócio que te apresenta pruma empresa. Meu problema com motivation letters é que minha expectativa é sempre tão baixa que acabo parecendo desmotivada. Não … Continue lendo Ah, atualiza o blog!

Mais uma sobre amor

E eu não sei se te amo ou se só me acostumei a este sentimento. E de costume, acordo todos os dias pensando em você, e num ou dois ou três momentos das minhas manhãs e tardes, lá está você imaginária, me enchendo de preocupações e incertezas. As coisas não são bem como eu consigo … Continue lendo Mais uma sobre amor

Das coisas inéditas

A vida não é aquela que aconteceu uma vez e depois de novo. A vida é inédita, de todos os pontos de vistas. Inédita pra medicina, inédita pra história, inédita para a matemática. Se perde o ineditismo, não é vida, não é nada. Um dia, estava parado na beira de uma ponte e veio um menino, medindo pouco  mais que a minha cintura, perguntar se eu ia me jogar. Achei engraçado, por ser o menino tão pequeno e a pergunta tão grande. Não ia não, respondi, e voltei a olhar o fluxo das águas. … Continue lendo Das coisas inéditas