Ano Novo no Ganges

6. Quando achei que era tempo bastante de meditação silenciosa às margens do Ganges, tirei os tênis e as meias. Assim que me levantei, quatro meninas pequenas me rodearam. Elas vendiam flores para serem jogadas no rio. “Madam”, “Madam”, “Flower, madam”. Os arranjos de calêndulas já estavam murchos e tristes, mas elas não aceitariam um … Continue lendo Ano Novo no Ganges

Anúncios

2015 – Um ano de reflexões e endurecimento

A música do meu 2015 fica com o Emicida, aquela que colou: Se 2014 foi o ano em que perdi o gosto por despedidas, em 2015 refleti bastante e endureci um pouco. Foi um período bem autocentrado e essa retrospectiva espelha o lapso egoísta: com licença mundo, há coisas que preciso fazer por mim antes. … Continue lendo 2015 – Um ano de reflexões e endurecimento

Ao tempo, esse amado

Perde-se discutindo se algo aconteceu antes ou depois. Em 82 ou 87, quando a gente ainda estava ou quando já tinha ido. Um instante teimosamente exato de um espaço e ser passado. Há quem dê valor a essa coisa cronológica. Eu não. Ultimamente tenho ressignificado o tempo. Tenho refletido sobre o sentido dos anos que … Continue lendo Ao tempo, esse amado

10 things I did against Brazilian rule after 2 years in Mumbai

My friend Kaori asked me to write about “10 things I did against Brazilian rule after 2 years in Mumbai”, she wrote about the Japanese things here. The image is only to make a reference to her post. Here, Starbucks are not that common to make a comparison between the service in Mumbai and Brazil… So, … Continue lendo 10 things I did against Brazilian rule after 2 years in Mumbai

Receba cartões postais de graça

Moro aqui na Índia há 2 anos. Apesar de ter mandado vários postais de outros países para os quais viajei nesse tempo, nunca mandei um único cartão daqui. Também escrevi bem menos sobre o que vivi aqui do que em outros lugares. Para recuperar o tempo perdido, decidi fazer um projeto (rufem os tambores): Quero … Continue lendo Receba cartões postais de graça

Meu Pequeno Tropicalista

Faz tempo, aproveitando a paixão do meu sobrinho por animais, mostrei a ele Gal Costa cantando vaca profana, e, de uma vez só, ele caiu na linha dos baianos. Graça das graças, cantava a letra inteira, começando concentrado com "respeito muito minhas lágrimas, mas ainda mais minhas risadas" e entoava sofrido o "veeeeem, dona das … Continue lendo Meu Pequeno Tropicalista

2014 – O ano em que perdi o gosto por despedidas

Em 2014, fiz a mesma grande viagem, ida e volta, três vezes. Por três vezes fui da Índia ao Brasil e, por outras três, fui do Brasil para a Índia. Eu virei minha própria piada de novela da Glória Perez, Mumbai é o meu Marrocos, minha casa de veraneio, meu Caminho das Índias. Primeiro Ato … Continue lendo 2014 – O ano em que perdi o gosto por despedidas